Resenha de Filme: Serra Pelada

serra pelada

Todos buscam seu pedacinho de ouro. Uns mais que os outros e fazem tudo para ter sempre mais. O poder, a ambição e o ouro são delírios de todos. Tudo por uma vida melhor. E o lugar para achar isso era Serra Pelada.

O filme conta a história do professor Joaquim e de Juliano. Após ser demitido de seu emprego, Joaquim decide largar a esposa grávida e ir com seu amigo Juliano para o maior garimpo a céu aberto do mundo, Serra Pelada. Em uma terra de ninguém, arma de fogo é sinônimo de sobrevivência e saber como usá-la é poder.

Serra Pelada conta com Juliano Cazaré no papel do ambicioso Juliano, e Júlio Andrade é o certinho professor Joaquim. Sophie Charlotte vai às telonas como a prostituta Tereza. O filme ainda conta com Matheus Nachtergaele como Carvalho e Wagner Moura como Lindo Rico.

O roteiro do filme é praticamente tirado de um manual, com direito a redenção e surpresinha no final. Tudo é conectado: se o poder vai subir a cabeça de Juliano, é explicado como ele já tem uma inclinação para tal. Tudo bem encaixado sem deixar nada fora do lugar. Isso muitas vezes é bom, mas em uma história que se passa em um lugar sem lei, seguir a regra do começo ao fim não agrada a todos. Mas isso não diminui tudo o que o filme construiu que o transformou em sucesso.

Tulé Peake é o responsável por um trabalho extraordinário na direção de arte. Com um currículo impecável (Cidade de Deus, Ensaio sobre a Cegueira, entre outros), Tulé nos introduz a uma terra de ninguém. A recriação de Serra Pelada ficou surpreendentemente bem feita. Tulé, Heitor Dhalia e Lito Mendes da Rocha recria aquele ‘formigueiro’ de gente atrás de uma pedra de ouro com uma mistura do filme fictício e de breves imagens registradas desde 1978.

Mas o melhor do filme está na presença de Wagner Moura. Não importa quem fosse no papel principal, jovem ou velho, veterano ou novato, Wagner roubaria a cena de qualquer um. O que mais admiro em um ator é a sua capacidade de assumir seu personagem de corpo e alma assim que as câmeras começam a rodar. E todas as vezes em que vi Wagner Moura no cinema, na TV e no teatro, ele se entregava e se divertia e como Lindo Rico não seria diferente.

O filme lembra um pouco de Tropa de Elite: um drama com ação e que te diverte. É uma abertura para a realidade de um mundo selvagem, o mundo de Serra Pelada.

Nota do CD:

★★½☆☆

Nota dos Leitores:




Trailer do Filme:

Ficha Técnica:
Título no Brasil: Serra Pelada
Título Original: Serra Pelada
País de Origem: Brasil
Direção: Heitor Dhalia
Roteiro: Heitor Dhalia, Vera Egito
Elenco: Juliano Cazarré, Júlio Andrade, Matheus Nachtergaele, Sophie Charlotte, Wagner Moura
Produção: Heitor Dhalia, Tatiana Quintella, Wagner Moura
Fotografia: Lito Mendes da Rocha
Duração: 120 min.
Gênero: Drama
Ano de Lançamento: 2013
Estúdio/Distrib.: Warner Bros. Pictures
Estreia no Brasil: 18/10/2013

Tags: , , , , , , , , , , ,

Categoria: Drama, Mediano, Monique Queiroz, Resenhas

Sobre o autor ()

Comentários (3)

Trackback URL | Comentários de RSS Feed

  1. Já não estava afim de assistir, agora ainda menos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *